Avaliação microscópica e microbiológica de farinhas de mandioca Manihot esculenta Crantz comercializadas nas feiras do Produtor e do Agricultor na cidade de Macapá, Amapá

  • Antonio Carlos Freitas Souza Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá - IEPA
  • Nádia Rosana Matos Soares Instituto Macapaense de Ensino Superior-IMMES
  • Anny Danyelly Correa Paiva Instituto Macapaense de Ensino Superior-IMMES.
  • Jaciane Thaís Ribeiro Mendes Instituto Macapaense de Ensino Superior-IMMES
  • Jaqueline Freitas Souza Instituto Macapaense de Ensino Superior-IMMES

Abstract

A mandioca (Manihot esculenta Crantz) é uma raiz muito popular no Brasil, dominantemente das regiões Norte e Nordeste. São muito apreciadas pela população, devido ao seu baixo custo e por sua versatilidade de ser transformada em outros alimentos. Dentre os derivados da raiz de mandioca, tem-se sua farinha, produto produzido em larga escala no Brasil, por grandes, médios e pequenos produtores, sendo nas regiões Norte e Nordeste, predominantemente, produzida pela agricultura familiar e comercializada em feiras livres. Existem normas e leis que regulamentam a qualidade da farinha de mandioca, porém a fiscalização é falha e os pequenos produtores têm conhecimento técnico incipiente sobre boas práticas higiênico-sanitárias durante seu beneficiamento, o que é uma lacuna para a contaminação da farinha comercializada por materiais estranhos e por microrganismos patogênicos. O presente trabalho avaliou a qualidade microscópica de matérias estranhas e identificou a presença de coliformes e Salmonella sp., nas farinhas comercializadas na Feira do Produtor e do Agricultor da Cidade de Macapá – AP. Foram analisadas 19 amostras onde a presença de agentes microbiológicos (coliformes) foram positivas e a presença de Salmonella sp., foram negativas, também foi identificado as matérias estranhas microscopicamente nas farinhas analisadas, porém mais de 50% atenderam aos padrões de qualidade estipulados na legislação vigente

Author Biographies

Antonio Carlos Freitas Souza, Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá - IEPA
Pesquisador do IEPA, pertence ao Núcleo de Ciência e Tecnologia de Alimentos, Laboratório de Microbiologia.
Nádia Rosana Matos Soares, Instituto Macapaense de Ensino Superior-IMMES
Farmacêutica, Mestre em Ciências Ambientais, Coordenadora do curso de Farmácia do Instituto Macapaense de Ensino Superior-IMMES
Anny Danyelly Correa Paiva, Instituto Macapaense de Ensino Superior-IMMES.
Farmacêutica pelo Instituto Macapaense de Ensino Superior-IMMES.
Jaciane Thaís Ribeiro Mendes, Instituto Macapaense de Ensino Superior-IMMES
Farmacêutica, Mestre em Ciências Ambientais, Coordenadora do curso de Farmácia do Instituto Macapaense de Ensino Superior-IMMES
Jaqueline Freitas Souza, Instituto Macapaense de Ensino Superior-IMMES
Acadêmica de Farmácia do Instituto Macapaense de Ensino Superior-IMMES.

References

Bezerra, V. S. (2005). Comportamento de cultivares de mandioca à podridão radicular no Estado do Amapá. Macapá: EMBRAPA. 4 f. Disponível em:. Acesso em: 23 de abr. de 2018.
Brasil. (2001). Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RDC n. 12, de 02 de janeiro de 2001. Regulamento técnico sobre os padrões microbiológicos para alimentos. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 02 de jan. de 2001. Disponível em: . Acesso em: 23 de abr. de 2018.
Brasil. (2004). Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução nº216, de 15 de setembro de 2004. Dispõe sobre Regulamento Técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 2004. Disponível em: . Acesso em: 20/01/2019.
Brasil. (2011) Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa n. 52, 07 de novembro de 2011. Estabelece o regulamento técnico da farinha de mandioca. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 07 de nov. de 2011. Disponível em: . Acesso em 22 de abr. de 2018.
Brasil. (2014). Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RDC n. 14, de 28 de março de 2014. Dispõe sobre matérias estranhas macroscópicas e microscópicas em alimentos e bebidas, seus limites de tolerância e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 14 de mar. de 2014. Disponível em: . Acesso em: 24 de abr. de 2018.
Chisté, R. C. & Cohen, K. O. (2006). Estudo do processo de fabricação da farinha de mandioca. Belém: EMBRAPA. 73 f. Disponível em: . Acesso em 23 de abr. de 2018.
Chisté, R. N, Cohen, K. O., Mathias, E. A. & Ramoa Junior, A. G. A. (2007). Estudo das propriedades físico-químicas e microbiológicas no processamento da farinha de mandioca do grupo d’gua. Ciência e Tecnologia de Alimentos. 27(2): 265-269.
Domingues, A. F. N., Carvalho, A. V. & Rosa, D. S. (2017). Determinação de matérias estranhas em farinhas de mandioca comercializadas em Belém-PA. Belém: EMBRAPA. Disponível em: . Acesso em 22 de abr. de 2018.
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (2016). SIDRA: produção agrícola municipal. Disponível em: . Acesso em 24 de abr. de 2018.
Jesus, A.C., Gomes, C.R., Morais, A.A., Moraes, M.H. de, Silva, F.V.A. da, Madeira, F.P., Bernarde, P. S., Meneguetti, D. U. de O. & Souza, R. M. (2017). Qualidade microbiológica das farinhas de mandioca (Manihot esculenta Crantz), comercializadas em feira-livre no município de Cruzeiro do Sul/Brasil. South American Journal of Basic Education, Technical and Technological. 5(1): 59-67.
Marini, J. A. (2016). Arranjo produtivo local de mandioca no Estado do Amapá. Macapá: EMBRAPA. 25 f. Disponível em: . Acesso em 23 de abr. de 2018.
Mesquita, J. da S., Araújo, S. K. P. R. & Pereira, F. C. da S. (2012). Análise micológica da farinha de mandioca vendida nas feiras do produtor na cidade de Macapá-AP. Revista Ciência e Saúde. 1(2):103-112.
Mundim, S. M. (2014). Fungos e micotoxinas em farinha de mandioca da Região Amazônica. 77 f. Dissertação (Mestrado) – Curso de Pós-graduação em Ciência de Alimentos, Manaus: UFAM. Disponível em: . Acesso em: 24 de abr. de 2018.
Neto, C. F., Nascimento, E. M., Figueirêdo, R. M. & Queiroz, A. J de. M. (2004). Microbiologia de farinhas de mandioca (Manihot esculenta Crantz) durante o armazenamento. Ciência Rural, Santa Maria, 34(2):551-555.
Pessoa, A. Y. D.; Holanda, H. D. & Santos, G. G. (2006). Avaliação físico-química, microbiológica e microscópicada farinha de mandioca (Manihot esculenta, Crantz) comercializada na cidade de Santo Antonio-RN. 1 p. In: Jornada Nacional da Agroindústria.
Pontes, C. G. C. (2012). Identificação de fungos contaminantes em farinha de mandioca (Manihot esculenta Crantz). 35 f. Monografia (Graduação) – Curso de Graduação em Ciências Biológicas, João Pessoa: UEPB, 2012. Disponível em: Prado, S. P de. T., Franco, A. R., Souza, L de, Oliveira, M. A de & Correia, M. (2005). Contaminação por matérias estranhas e microrganismos em farináceos comercializados em Ribeirão Preto, SP. Revista do Instituto Adolfo Lutz. 64(2):237-244.
Ramoa Junior, A. G. A., Cohen, K. O., Mathias, E. A., Chisté, R. C. & Lima, C. L. S. (2005). Avaliação microbiológica das etapas de processamento da farinha de mandioca do grupo seca. p. 6. In: Simpósio Latino-Americano de Ciência de Alimentos.
Shinohara, N. K. S, Barros, V. B de, Jimenez, S. M. C, Machado, E de C. L, Dutra, R. A. F. & Filho, J. L de. L. (2008). Salmonella spp., importante agente patogênico veiculado em alimentos. Ciência & Saúde Coletiva. 13(5):1675-1683.
Silva-Junior, A. C. S., Silva, A. do S. S. da, Soares, N. R. M., Moraes, G. D. de, Sousa, C. M. de & Nascimento, J. F. (2017). Caracterização físico-química e avaliação microbiológica de concentrado proteico de peixe (Piracuí) comercializado em feiras livres da cidade de Macapá – AP. Biota Amazônia. 7(3):33-37.
Silva-Junior, A.C.S., Ferreira, L.R. & Frazão, A. (2017). Avaliação da condição higienicossanitária na comercialização de pescado da feira do Produtor Rural do Buritizal, Macapá – Amapá. Life Style. 4(1): 71-81.
Souza, J. F, Figueiredo, R. M. & Santana, C. M. P. (2015). qualidade microbiológica da farinha de mandioca comercializada na região sudoeste da Bahia. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, 17(2):117-123.
Yari, S., Amante, E. R. & Pinto, V. G. S. (2000). Avaliação microbiológica da farinha de mandioca processada na Região Sul de Santa Catarina. p.7, Congresso Brasileiro de Ciência e Tecnologia de Alimentos, Fortaleza. Anais... Fortaleza.
Published
2019-10-30
How to Cite
Souza, A. C. F., Soares, N. R. M., Paiva, A. D. C., Mendes, J. T. R., & Souza, J. F. (2019). Avaliação microscópica e microbiológica de farinhas de mandioca Manihot esculenta Crantz comercializadas nas feiras do Produtor e do Agricultor na cidade de Macapá, Amapá, 12(3), 12. https://doi.org/10.22280/revintervol12ed3.441