Perfil epidemiológico de acidentes com animais peçonhentos no Piauí

  • Victor Paro da Cunha Faculdade de Ciências Médicas - FACIME/UESPI
  • Rafael Vitor Silva Gaioso dos Santos Faculdade de Ciências Médicas - FACIME/UESPI
  • Edson Egledson Andrade Ribeiro
  • Antônio Luiz Martins Maia Filho Faculdade de Ciências Médicas - FACIME/UESPI
  • Rosemarie Brandim Marques Faculdade de Ciências Médicas (FACIME) da Universidade Estadual do Piauí (UESPI).

Abstract

Acidentes com animais peçonhentos estão relacionados à localização geográfica e hábitos de vida da população envolvida. O objetivo deste trabalho foi avaliar os aspectos epidemiológicos e clínicos dos acidentes com animais peçonhentos no estado do Piauí, no período de janeiro de 2007 a dezembro de 2011. Realizou-se um estudo descritivo e retrospectivo utilizando prontuários de pacientes. Dos 125 prontuários, 65 sofreram acidentes ofídicos crotálicos, 35 botrópicos, 07 elapídicos, 01 laquético. Houve ainda 14 acidentes com escorpiões e 01 com aranha. Foram 103 (79,23%) homens e 27 (20,77%) mulheres, com média de idade de 37,7 anos. Quanto à ocupação, 74 (56,92%) eram lavradores e a maior incidência na zona rural com 120 (92,31%) casos. A média de tempo entre acidente e atendimento médico foi de 12,58 horas e tempo médio para início da soroterapia de 11,51 horas. A média de internação hospitalar foram 5 dias. O desfecho principal foi cura com 117 (90,00%) dos casos. A complicação mais comum foi insuficiência renal crônica (22,3%) nos acidentes crotálicos. O esquema de soroterapia não seguiu o padronizado pela Fundação Nacional da Saúde. O perfil destes acidentes no Piauí é semelhante ao nacional, porém, medidas educativas devem ser tomadas em todos os níveis de atenção à saúde para melhoria da assistência prestada aos pacientes.

Author Biographies

Victor Paro da Cunha, Faculdade de Ciências Médicas - FACIME/UESPI
Graduado em Medicina
Rafael Vitor Silva Gaioso dos Santos, Faculdade de Ciências Médicas - FACIME/UESPI
Graduado em Medicina
Edson Egledson Andrade Ribeiro
Médico Veterináriio, doutor em Ciências Médicas (UFPI)
Antônio Luiz Martins Maia Filho, Faculdade de Ciências Médicas - FACIME/UESPI
Professor Efetivo Dedicação Exclusiva
Rosemarie Brandim Marques, Faculdade de Ciências Médicas (FACIME) da Universidade Estadual do Piauí (UESPI).
Professora Efetiva Dedicação Exclusiva

References

ALBUQUERQUE, P. L. et al. Epidemiological Profile of Snakebite accidents in a metropolitan area of northeast Brazil. Medicina Tropical, São Paulo, v. 5, n. 55, p.347-351, set. 2013.

ANDRADE, J. G. et al. Estudo Bacteriológico de Abscessos causados por picada de serpentes do gênero Bothopos. Revista Medicina Tropical, São Paulo, v. 6, n. 31, p.363-367, nov. 1989.

BOCHNER, R; STRUCHINER, C. J. Acidentes por animais peçonhentos e sistemas nacionais de informação; Caderno de Saúde Publíca, Rio de Janeiro, 18(3): 735-746; mai-jun, 2002.

INSTITUTO BUTANTAN – www.butantan.gov.br/info_uteis.htm. Acesso em 24/07/16.

LIMA, J. S. et al. Perfil dos Acidentes ofídicos no norte do Estado de Minas Gerais, Brasil. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, Uberaba(mg), v. 5, n. 42, p.561-564, set. 2009.

MINISTÉRIO DA SAÚDE - www.portalsaude.gov.br. Acesso em 25/07/16.

PINHO, F. M. O.; FALEIROS, F. ; OLIVEIRA, E S. Acidente Ofídico no estado de Goiás. Revista da Associação Médica Brasileira, 2004; 50(1): 93 – 96.

SISTEMA NACIONAL DE INTORMAÇÕES TÓXICO-FARMACOLÓGICAS – SINITOX, www.fiocruz.br/sinitox.
ZAMBRONE, F. A. D.; ALONZO, H. G. A.; RICARDI, G. V. F; CAMPOLINA, D; WILLRICH, I. O.; TURUNI, C. A. M.; OLIVEIRA, M. L. F; HERING, S. CUPO, P. perfil epidemilógico dos atendimentos realizados nos centros de toxicologia de seis hospitais universitários do Brasil de 1994 a 1996 – www.hc.unicamp.br.
Published
2019-02-28
How to Cite
da Cunha, V. P., dos Santos, R. V. S. G., Ribeiro, E. E. A., Maia Filho, A. L. M., & Marques, R. B. (2019). Perfil epidemiológico de acidentes com animais peçonhentos no Piauí, 12(1). https://doi.org/10.22280/revintervol12ed1.399
Section
CIÊNCIAS BIOLÓGICAS II (FARMACOLOGIA - TOXICOLOGIA)