Mercúrio e glutationa em pescadoras do nordeste paraense

Abstract

Resumo Objetivos Avaliar a associação da concentração de mercúrio e alterações de componentes do sistema glutationa em mulheres residentes de área marítima da região nordeste, no Pará Material e métodos: Participaram 106 mulheres, entre 13 a 55 anos, da Vila de pescadores de Caratateua do município de Bragança, no estado do Pará. As informações demográficas e amostras biológicas foram obtidas durante a visita à comunidade através de formulários clinico epidemiológicos. As análises de mercúrio total foram realizadas no laboratório de Toxicologia Humana e Ambiental do NMT/UFPA, no espectrofotômetro de absorção atômica Mercury Analyzer SP3d da Nippon Corporation. As análises de bioquímicas oxidativas foram realizadas (GSH e GSSG), através do espectrofotômetro de absorção UV. Resultados: A mediana de Hgtotal foi 1.72µg/g, 1º. e 3º quartil de 0,9 e 3,3 µg/g respectivamente e máximo de 20.7 µg/g. Embora 8,4% da população estudada ultrapassou o limite de 6 µg/g da OMS para populações exposta através da alimentação, foi observada diferença estatística altamente significativa entre os níveis de mercúrio e o referido parâmetro da OMS, p<0,01. A mediana de GSSG e GSH foi de 1.31 e 0.5 mg/Ml respectivamente. Não foi observada associação entre os níveis de mercúrio e a dosagem de glutationa oxidada e reduzida, p>0,05. Conclusão: Conclui-se que a população de Caratateua estudada encontra-se em mais de 90% dentro dos padrões de normalidade de mercúrio, não foi observada nenhuma associação com as dosagens dos componentes do sistema glutationa. Demonstrando que a exposição ao mercúrio não está contribuindo com supressão do sistema antioxidante nesta região. No entanto, sugere-se a necessidade de mais estudos visando investigar a origem da exposição ao metal.  Palavras-chave: Mercúrio, Estresse oxidativo, Comunidade, Marítima, glutationa             

Author Biography

Claudia Simone Baltazar, Nucleo de Medicina Tropical da UFPA
Doutoranda em Patologia das doenças tropiacais pelo NMT/UFPA. Mestre em patologia das doencas Tropicais pela mesma IED. Bacharel em Biomedicina pela Escola Superior da Amazonia.

References

[1] VALENTINE J. Efeito da sazonalidade na exposição ao mercúrio e nos marcadores de estress oxidativo e de inflamação em populações ribeirinhas da Amazônia. Tese (Doutorado) Faculdade de ciências Farmacêuticas –USP 2012: 1-140.

[2] BARCELOS GRM. Avaliação das propriedades antigenotóxicas e antioxidantes do flavonoide quercetina e dos carotenoides bixina e norbixina contra os danos no material genético e distúrbios do estado redox causados pelo cloreto de mercúrio e metilmercúrio, in vitro e in vivo. Tese (Doutorado) Faculdades de ciências Farmacêuticas -USP 2010: 1-112.

[3] CHANDRAN R, SIVAKUMAR AA, MOHANDASS S & ARUCHAMI M. Effect of cadmium and zinc on antioxidant enzyme activity in the gastropod, Achatina fulica. Comparative Biochemistry and physiology 2005; 140: 422-4.

[4] VALAVANIDIS A, VLAHOGIANNI T, DASSENAKIS M, SCOULLOS M. Molecular biomarkers of oxidative stress in aquatic organisms in relation to toxic environmental pollutants. Ecotoxicology and Environmental Safety 2006; 64: 178-11.

[5] ATLI G, CANLI M. Enzymatic responses to metal exposures in a freshwater fish Oreochromis niloticus. Comparative Biochemistry and Physiology 2007; 145:. 282-5.

[6] AVILEZ IM, HORI TSF, ALMEIDA LC, HACKBARTH A, BASTOS NETO JC, BASTOS VLFC, MORAES G. Effects of phenol in antioxidant metabolism in matrinxã, Brycon amazonicus (Teleostei; Characidae). Comparative Biochemistry and physiology 2008; 148: 136-6.

[7] SCHURZ F, SABATER-VILAR M, FINK-GREMMELS J. Mutagenicity of mercury chloride and mechanisms of cellular defense: the role of metal-binding proteins. Mutagenesis 2000; 15: 525-5.

[8] ZALUPS RK. Molecular interactions with mercury in the kidney. Pharmacol. Rev 2000; 52: 113-10.
[9] PINHEIRO MCN. Exposição mercurial e defesas antioxidantes em mulheres ribeirinhas da Amazônia. Tese (Doutorado) Programa de Pós-Graduação em Neurociências e Biologia Celular, Universidade Federal do Pará 2005: 1-150.

[10] MERTENS F, JOHANNE SCB, MERGLER D. Social communication network analysis of the role of participatory research in the adoption of new fish consumption behaviors. Social Science & Medicine 2012; 75: 643-7.

[11] MALM O, GUIMARAES JRD, CASTRO MB, BASTOS WR, VIANA JP, BRANCHES FJP, SILVEIRA EG, PFEIFFFER WC. Follow-up of mercury levels in fish, human hair and urine in the Madeira and Tapajos basins, Amazon, Brazil. Water, Air, Soil and Pollution 1997; 97: 45-6.
Published
2018-06-22
How to Cite
Baltazar, C. S. (2018). Mercúrio e glutationa em pescadoras do nordeste paraense, 11(2). https://doi.org/10.22280/revintervol11ed2.333