Toxicologia do níquel

  • Karina Regina Gonzalez

Abstract

Este estudo faz uma revisão de literatura sobre o níquel metálico (Ni) e sua forma de apresentação ao trabalhador, relacionando os perigos causados por sua suposta carcinogenicidade. O estudo tem sua relevância fundamentada na importância de se conhecer a correta composição dos elementos e sua classificação com preocupações sociais e ambientais, destinando-se a conhecer e controlar os riscos que o trabalho pode oferecer ao ambiente e à vida. Descrevem-se as principais características do níquel metálico e informações sobre algumas normas brasileiras. Utilizaram-se dados de bancos como o LILACS, SciELO, MEDLINE, Direct Science, assim como livros e documentos de referência para a área. O método utilizado foi um levantamento bibliográfico por meio de abordagem crítica, objetiva e abrangente, considerando-se a relevância do tema. Ao final do trabalho percebeu-se o conflito gerado por uma classificação equivocada dos compostos e a necessidade de estudos mais aprofundados. A partir do levantamento empreendido espera-se ter contribuído para o conhecimento geral da população, principalmente para quem está diretamente envolvido na exposição a compostos do níquel com o Ni metálico, possibilitando-se, desta maneira, rever as medidas e precauções que são sugeridas na literatura quanto à segurança no ambiente de trabalho.

References

ACGIH (Conferência Americana de Higienistas Industriais Governamentais). (2014). Valores limite e índices de exposição biológica para substâncias químicas e agentes físicos. Cincinnati, OH, p.51

AHMAD, M. S., ASHRAF, M. (2011). Essential roles and hazardous effects of nickel in plants. Review of Environmental Contamination and Toxicology, 214, 125–167

AZEVEDO, F. A.; CHASIN, A. M.. Metais Gerenciamento da toxicidade. Belo Horizonte: Atheneu, 2003. 554 p.

CETESB. Relatório de estabelecimento de valores orientadores para solos e águas subterrâneas no estado de São Paulo / Dorothy C. P. Casarini [et al.]. São Paulo: Série Relatórios Ambientais, 73p., 2001.

CLANCY, H., COSTA, M. (2012). Nickel: A pervasive carcinogen. Future Oncology, 8, 1507–1509. doi:10.2217/fon.12.154

DENKHAUS, E. SALNOKOW, K. Nickel essentiality, toxicity, and carcinogenicity. Critical Reviews in Oncology/Hematology, v.42, p35 – 56, 2002.

HUGHSON, Graeme W. An occupational hygiene assessment of dermal nickel exposures in primary production industries. Edinburgh: Institute Of Occupational Medicine, 2004.

IARC. International Agency for Research on Cancer. Biological Data Relevant to the Evaluation of Carcinogenic Risk to Humans. Chromium, Nickel and Welding. Lyon: IARC, vol 49 1990. http://monographs.iarc.fr/ENG/Monographs/vol49/.
Hueper, W. e Payne, W. (1962). Estudos experimentais em metal de carcinogênese. Arch. Environ. Saúde, 5, 445-462

KAS, K., DAS, S., DHUNDASI, S. (2008). Nickel, its adverse health effects and oxidative stress. Indian Journal of Medical Research, 128, 412–425.

KIRA, C. S.. Determinação de valores de referência para chumbo, cádmio, mercúrio e níquel em sangue de crianças e adultos da cidade de São Paulo. 2014. 176 f. Tese (Doutorado) - Curso de Medicina, Faculdade de Medicina, São Paulo, 2014.

KIRKPATRICK, D. (2004). A 13-Week Estudo de Inalação Toxicidade (com recuperação) de níquel metal em ratos albinos (Estudo No. WIL-437002). WIL Research Laboratories, Inc., Ashland, Ohio.

MOULIN, J., CLAVEL, T., ROY, D., et al. (2000). Risco de câncer de pulmão em trabalhadores que produzem ligas de aço inoxidável e metálicos. Int Arch Occup Environ Saúde 73 (3): 171-80.

MUÑOZ, A., COSTA, M. (2012). Elucidating the mechanisms of nickel compound uptake: A review of particulate and nano-nickel endocytosis and toxicity. Toxicology Applied and Pharmacology, 260, 1–16. doi:10.1016/j.taap.2011.12.014

NIELSEN, G. D.; ANDERSEN, O. JENSEN. M. Toxicocinetics of nickel in mice studied with the gamma-emitting isotope 57Ni. Fundam. Appl. Toxicol., v. 21, n. 2, p. 236-243, 1993.

OLIVEIRA, M. F.. Efeito da exposição crônica ao níquel nos testículos de ratos Wistar adultos. 2010. 67 f. Tese (Doutorado) - Curso de Biologia Celular e Estrutural, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2010.

OLLER, A. R. Respiratory carcinogenicity assessement of soluble nickel compounds. Environ. Health. Perspect., v. 110, suppl 5, p. 841-4,. 2002.

PEIXE, T. S.. Avaliação das concentrações de exposição aos metais Pb, Cd, Mn e Ni em fundições de metais não ferrosos e correlações com marcadores de dano oxidativo. 2010. 174 f. Tese (Doutorado) - Curso de Toxicologia e Análises Toxicológicas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

QUINÁGUIA, G. A.. Caracterização dos níveis basais de concentração de metais. São Paulo: Biblioteca 24 Horas, 2012. 1 v.


SHARMA, S., SHARMA, S., SINGH, P. K., SWAMI, R. C., & SHARMA, K. P. (2009). Exploring fish bioassay of textile dye wastewaters and their selected constituents in terms of mortality and erythrocyte disorders. Bulletin of Environmental Contamination and Toxicology, 83, 29–34. doi:10.1007/s00128-009-9711-y

SCHAUMLÖFFEL, D. (2012). Nickel species: Analysis and toxic effects. Journal of Trace Elements in Medicine and Biology, 26, 1–6. doi:10.1016/j.jtemb.2012.01.002
Published
2016-06-30
How to Cite
Gonzalez, K. R. (2016). Toxicologia do níquel, 9(2). https://doi.org/10.22280/revintervol9ed2.242
Section
CIÊNCIAS BIOLÓGICAS II (FARMACOLOGIA - TOXICOLOGIA)